terça-feira, 5 de maio de 2009

Misérias da vida entre os eflúvios (diário)

Desde que sou gótico a minha vida ficou um bocadinho mais complicada, mas estes três meses têm sido muito emocionantes. Vi três vezes o Star Wars mas depois percebi que tinha feito confusão parece que aquilo não é muito gótico. Realmente desconfiei porque a princesa Leya andava vestida de branco e se fosse gótica tinha que se vestir toda de preto, ou então o realizador não percebia muito de gótiocs.

Tenho um poema quase pronto! É o primeiro que faço mas já li muitos e acho que já percebi como é. Vai ficar muito bom. Então o poema para já está assim:

Ando na noite como um fantasma
com asma
Ando na noite como um demónio
erróneo
Ando na noite como um morcego
(pôr aqui qualquer coisa que rime com morcego)
Ando na noite como um desgraçado.
Coitado.
E ninguém me compreende
O mundo é uma porcaria (ver se fica melhor merda)
O manto do vampiro se estende
na noite da minha demagogia (ver no google o que é demagogia)

O título ainda não pensei, mas há um muito bom que é Loucura Devastadora. Até arrepia.

Na sexta-feira acabei por não sair à noite porque não conseguia encontrar o rimmel. Afinal tinha-o guardado muito bem ao lado da colecção de chaves de parafusos na caixinha amarela de ferramentas. Preciso muito de ficar amigo de outros góticos porque ainda não percebi muito bem como é que aquilo se aplica e não vinha com um livrinho de instruções como por exemplo o micro-ondas.

No Sábado saí e voltei ao Dizodre. Tive que ir sem rimmel porque aquilo não fazia efeito, se calhar tem que se tirar o plástico mas tenho medo de estragar e depois não posso reclamar na loja. Desta vez levei uma t-shirt que fiz que é toda preta, claro, mas com umas letras que dizem assim Sou o Chefe dos Vampiros, Uh Uh Uh. Comecei a abrir o casaco para a mostrar ao porteiro mas ele não deve ser muito bom profissional porque não me ligou nada e empurrou-me lá para dentro. Depois foi muito complicado porque vi uma gótica no balcão e como queria ter amigos góticos fui ter com ela e comecei a mostrar-lhe a t-shirt. Ela olhou para mim e disse uma coisa que eu não percebi. Pareceu-me assim: I'm undred. Mas também podia ser sou a Andreia, estava a música muito alta e não percebi. Pensei muito depressa e disse-lhe I Kiss the Ass of the Devil. Aposto que nunca ninguém lhe tinha dito uma coisa tão triste. Ela estava a beber por um copinho muito pequenino e engasgou-se deve ter sido a emoção. Depois consegui falar com ela mas vou deixar para outro dia contar como foi porque ainda tenho a cabeça muito confusa.

12 comentários:

Morgana La Folle disse...

LOL..... eu acho que fica muito melhor "porcaria"!!!!!!
O poema é mesmo muito bom. Qualquer gótico compreende a tua alma assim, digamos, logo à primeira leitura.

Também fiquei arrepiada com o título.

Dar-te kisses.

biazinha disse...

HUAHSUAHUSHAahsuahsahhaHUAHSHHAHA....Adorei o fantasma com asma...LOLADA!
Fala pro aprendiz meter "um berro dos cabritos" neste poema porque tem uma certa sonoridade.
O diálogo em inglês está supimpa, e a desenvoltura dele consegue ser pior que a minha.

biazinha disse...

Beijo, Goldmundo.

Klatuu o embuçado disse...

LOL!!!

Abraço.

aquilária disse...

:)))
ó neco, eu não sou gótica mas essa questão do rimmel resolve-se muito facilmente: molhas muito bem a escovinha no rimmel; mergulha-a, depois, num copo cheio de água. esperas 5 minutos, mexes muito bem a mistura e bebes. convém fazê-lo em jejum e, se possível, depois de uma sessão de meditação (espero que saibas o que isso é) ; vais ver, daqui a algum tempo, não só as pestanas, até as unhas te vão ficar mais escuras!
(regista esta e aprende, que eu não duro sempre).

o poema, muito lindo, também mexeu comigo; deixo-te duas sugestões para a rima com morcego:

ando na noite como um morcego
cego

ou

ando na noite com um morcego
no ego

...e porcaria fica melhor, sim, pois rima com demagogia.

abraço

aquela-ária

Frankie disse...

AHAHAHAH! Tenho que vir cá mais vezes! Ao menos garantes-me umas boas gargalhadas e isso lava-me a alma.

Beijo grande*



PS: Olha... a seguir ao morcego...tenta um verso qualquer com "desassosego" ;)
LOLADA!

Morgana La Folle disse...

Aquelas moças que comentaram, a Aquela-ária e a outra, que se chama Franca (um bonito nome!) deram muito boas opiniões para as rimas. Vê-se logo que percebem muito de poemas góticos, quase tanto como tu.

Acaba lá o poema ou então queima-o e espalha as cinzas no decote de alguém na próxima vez que fores ao Dizodre.

Quando é que tens outro eflúvio?

Dar-te kisses, Neco.
Forever! (é bastante gótico escrever qualquer coisa dramática em inglês).

sophiarui disse...

hehehehhehe

como é que isto me escapou assim hein??... devo andar mesmo gótica para perder umas gargalhadas destas...

hiii! achas q aminha t-shirt colorida dá para ir ao Dizodre... se calhar ainda tenho q escrever um poema bolas!!!

;)

HornedWolf disse...

hahaha!
O que eu fui descobrir!

Chandra disse...

Que vergonha schizooooo...
Isto faz-me mal à pele!
Estás a mostrar todos os segredos da nossa Ordem, e só passado vários meses é que descobri!!!!!!

:(

thepoisonousi@thehospital.com disse...

Votos de um excelente Natal, Goldmundo!

Que possas ressuscitar em 2010! ;)

Abraço!

Morgana La Folle disse...

Isto já não é um diário, Neco, pouco falta para ser um anuário! :(

É muito importante pra nós, os góticos, conhecer estas tuas experiências. Apressa-te, porque quando voltares a escrever, podemos já estar todos mortos - não te esqueças que temos a mania de morrer!

Dar-te kisses, (bo)Neco!

:)